AssociaçãoTeatroFolcloreFutebol

LAGARES DA BEIRA 2 - 1 SEIXO

   Lagares da Beira           2    VS    1         

A.D.LAGARES DA BEIRA           (a.p)                  A.C.R. SEIXO

 

Disputou-se no passado dia 8 de Dezembro, em Lagares da Beira, e pelo segundo ano consecutivo a 2ª mão da 1ª Eliminatória da Taça da A. F. Coimbra. Depois do empate a 2 bolas verificado na 1ª mão, seria este o jogo em que tudo ficaria decidido relativamente à passagem à 2ª eliminatória.

De referir que este jogo se iria realizar menos de 48 horas depois do final do jogo do campeonato, que ambas as equipas tiveram que disputar no domingo anterior nas suas respectivas séries, o que nos leva a solicitar à Associação uma análise mais cuidada na calendarização das diferentes provas. Se os profissionais, com todos os mecanismos que têm à sua disposição para a recuperação física dos atletas, não recomendam menos do que 72 horas entre 2 desafios, o que dizer do futebol amador, no qual a maioria das equipas conta com plantéis bastante curtos e com os jogadores a treinar apenas 1, 2 ou 3 vezes por semana, não tendo por isso condição física para enfrentar este tipo de calendário...? Se adicionarmos a isto, o desgaste provocado por uma viagem de 2 horas (150 Km), pensamos ter toda a legitimidade para o fazer.

Seixo a alinhar com:

SEABRA; EDUARDO, JONATHAN, PESTANA E ARTUR; FARTURAS, ZORRO E MARANHÃO; J. PEDRO, DAVID E TITO.

Jogo marcado pela péssima actuação da equipa de arbitragem, pelo domínio territorial da equipa de Lagares e pela ineficácia da equipa do Seixo.

Foi uma partida bastante equilibrada no 1º tempo, com mais posse de bola da equipa da casa, sem grandes oportunidades de parte a parte a não ser em lances de bola parada, com 2 momentos perigosos para cada lado. Num desses lances, com alguma felicidade, e por via de uma falha do guarda-redes adversário, que larga uma bola aparentemente fácil, o Seixo coloca-se em vantagem no marcador e na eliminatória, com um golo marcado por Zorro.

A segunda parte foi algo diferente. 1º porque o equilíbrio verificado no 1º tempo se desfez, com a equipa da casa a assumir quase por completo as rédeas do jogo, e com algumas alterações tácticas, a encostar a equipa visitante à sua área, ainda que sempre sem criar perigo. 2º, porque as jogadas de perigo pertenceram à equipa do Seixo, que falha neste período duas ocasiões clarissimas de golo, com o mesmo jogador isolado duas vezes perante o G.R. adversário, a não conseguir dilatar a vantagem, o que garantiria praticamente, a passagem à elminatório seguinte.

Momentos marcantes até final, a dualidade de critérios do árbitro da partida ao não exibir o 2º cartão amarelo e consequente vermelho, ao capitão do Lagares da Beira, por uma entrada sobre Maranhão, quando este partia em posição previlegiada para o contra ataque, e entrada essa por sinal bastante mais dura do que algumas que já tinham valido aos jogadores do Seixo o respectivo cartão, e o golo da equipa da casa, já em cima do minuto 90, precisamente por este jogador que jã não deveria estar em campo.

Com este golo a eliminatória estava de novo empatada e teria que ser realizado o prolongamento. Neste período do jogo, o equilíbrio voltou a ser a nota dominante, mas com o árbitro do encontro a querer retirar o protagonismo aos jogadores. Para além de um critério absurdo na marcação de faltas para um e outro lado, ou melhor apenas para um lado, decide resolver o jogo a favor da equipa da casa, marcando uma grande penalidade inexistente, considerando como falta, um corte limpo de Maranhão para a linha final, relativamente ao qual, bastaria pela trajectória da bola, e ainda que não tivesse visto (é que já era quase noite fechada), aperceber-se que teria que ter sido um desarme absolutamente legal. Como se não bastasse, exibe o cartão vermelho ao jogador do Seixo, alegadamente por palavras, diminuindo ainda mais as hipóteses de recuperação no marcador. Até final, mais coração do que cabeça por parte dos nossos jogadores, conseguindo ainda assim, contra todas as condicionantes já referidas, e indo buscar forças à imensa vontade de vencer que já é imagem de marca desta equipa, empurrar o jogo para o seu ataque, ainda que sem os resultados pretendidos.

Resumindo e concluindo, foi uma partida e uma eliminatória exigente e bastante bem disputada, na qual se apurou, no cômputo geral, a equipa mais feliz. Parabéns à equipa de Lagares pela passagem à eliminatória seguinte, demonstrando ser uma equipa muito forte fisicamente e que se adaptou melhor às exigências desta eliminatória.

Parabéns ainda aos nossos jogadores, pela entrega e pela superação essencialmente neste último jogo, muito desgastante física e psicologicamente, e que fica marcado por uma actuação do árbitro principal do pior que já assistimos no futebol distrital.

Para o ano há mais... Taça!

Reportagem: R6

ACRSeixo 2007 powered by vbworks.net